segunda-feira, 27 de março de 2017

Como apanhar um traidor

(história anterior)

Não tenho jeitinho nenhum para escrever. Por muito que eu seja parecida à minha irmã Ana, não consigo perceber porque perde ela tanto tempo de roda da escrita, revelando todos os detalhes sórdidos das nossas aventuras sexuais. Só que, graças a uma aposta (maldito sejas, Casillas!), vou ter de a imitar e escrever sobre algo picante. Bom, do mal o menos: sei bem que situação relatar!
Como toda a gente sabe, eu trabalho num salão de cabeleireira. A dona do franchise que pertence o meu local de trabalho, que se chama Isabel mas prefere que lhe chamem Belita, é um pedaço de mulher: alta, loira e com pinta de top-model, gosta de se vestir de forma espampanante – dá-me 15-0 no exibicionismo! – e faz virar cabeças ao passar na rua, sempre montada em cima de uns saltos altíssimos que a fazem parecer um arranha-céus. E sim, antes que perguntem, eu já me envolvi com ela; aliás, eu e ela uma vez raptámos a minha irmã Ana e a minha esposa Helena e abusámos delas durante dois dias, aproveitando a ausência do meu cunhado1. Escusado será dizer que somos bastante amigas, quase unha com carne, e andamos bastantes vezes juntas. Belita é casada com o Pedro, empresário como ela, e ambos têm um filho, o Duarte. Escusado será dizer que sou amiga da família, tal como Helena.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Bodas de madeira (parte 2)

continuação...


O dia passou-se no passeio pela vila e pelas imediações, a vermos as paisagens. A zona de facto era bastante bonita e, na Primavera, com todo aquele verde, ficava ainda mais bela. Subimos ao castelo, andámos a passear pelas ruas estreitas da parte mais antiga, almoçámos num dos restaurantes da parte nova, descemos ao cais e ainda pensámos em ir chapinhar na água, mas o ventinho e a temperatura não convidavam a isso. Ainda desafiei Márcia para irmos dar uma volta de carro até às Minas de São Domingos, mas ela disse que não podia ser, que o Sol ia-se pôr não tardava… e disse uma frase que me deixou gelada:
- Daqui a bocado vem aí um amigo meu de faculdade jantar connosco.